terça-feira, 25 de julho de 2017

Agência de Investigações Holísticas de Dirk Gently - Douglas Adams

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 9,0
Livro: Agência de Investigações Holísticas de Dirk Gently
Autor: Douglas Adams
Número de páginas: 240
Editora: Arqueiro




Sinopse: Richard MacDuff é um engenheiro de computação perfeitamente normal que sempre se comportou muito bem, obrigado, até o dia em que deixa uma mensagem equivocada na secretária eletrônica de sua namorada, Susan Way. Arrependido, toma a decisão mais natural possível: escalar o prédio dela e invadir seu apartamento para roubar a fita com a gravação.
Na vizinhança, Dirk Gently bisbilhota os arredores com seu binóculo quando presencia o ato tresloucado do antigo colega de faculdade e decide entrar em contato para lhe oferecer seus serviços investigativos. Depois de uma série de acontecimentos bizarros, o detetive percebe que a interconexão obscura entre a atitude estapafúrdia do amigo e o assassinato de Gordon Way - irmão de Susan e chefe de Richard, que passa a ser suspeito do crime.
De uma hora para outra, os dois veem-se envolvidos em um caso incrivelmente estranho, com elementos díspares e desconexos que, no final, conseguem se encaixar de forma perfeita e construir uma trama típica de Douglas Adams.

Resenha: Bom, eu sou super fã do Douglas Adams. Considero ele uns dos meus autores favoritos. Conheci-o através de sua obra prima O guia do mochileiro das Galáxias. Achei a coisa toda muito bizarra e genial. Me apaixonei pela escrita do autor, pelo seu humor britânico, e por sua cabeça maluca.
Conheci Dirk Gently por acaso. Eu estava pesquisando outros livros do autor e descobri que ele havia escrito uma duologia  sobre um detetive esquisitão. Bom, meu personagem favorito da vida é o Sherlock Holmes, o maior detetive da literatura mundial, então quando eu soube que Adams havia escrito algo sobre um detetive quis logo ler e tirar minhas conclusões sobre a loucura que isso seria.
E não é que o livro é bom?

O livro conta a história de Richard MacDuff. Bom, ele é um dos personagens centrais. A história gira em torno dele já que os acontecimentos coincidentemente acabam de uma forma ou de outra envolvendo ele.
Em uma noite ele está em um jantar na faculdade de St. Cedd's em Cambridge em um reencontro com seu antigo tutor Reg. No jantar ocorrem fatos bem estranhos, tais como uma égua aparecer dentro de um banheiro e Reg acabar se lembrando de um ex colega de Richard chamado Dirk, mas ele não fica demasiadamente impressionado.
Depois ele quase atropela o que parece ser o fantasma de seu chefe e por fim deixa uma mensagem absurda na secretária eletrônica de Susan, sua namorada e decide invadir a casa dela para roubar a fita.

Bom, esses são alguns dos aparentes desconexos fatos que ocorrem no decorrer do livro. Nada parece levar a um fim lógico até que Richard reencontra Dirk Gently que está muito interessado nos eventos estranhos que andam rondando seu ex colega.

Nossa... No início apareceram tantas personagens aparentemente sem nenhuma ligação uma com a outra no livro que passei vários capítulos tentando entender onde diabos Adams queria chegar. E o pior! Quando o livro acabou eu fiquei tão estática, sem entender direito o que havia acontecido que desejei recomeçar a leitura e prestar mais atenção naquelas personagens sem pé nem cabeça.
Foi muito maluco! O desfecho foi no mínimo surpreendente.

Se você gosta de ficção científica com ênfase em viagens no tempo então você vai adorar esse livro. Além disso há fantasmas, detetives malucos e fatos engraçadíssimos de brinde!

Mas apesar de ter obviamente diversas semelhanças, na forma de escrever principalmente, com o Guia do mochileiro das galáxias, não leia esperando encontrar a mesma genialidade que encontrou na obra prima do autor, porque acho que isso é impossível. Mas eu gostei de verdade e já quero reler para entender melhor o livro.

Ah, na Netflix tem uma série inspirada nos casos de Dirk Gently. Ela leva o mesmo nome do livro: Agência de investigações holísticas Dirk Gently. Não é muito parecida com o livro. As personagens não são as mesmas e o ator que interpreta o Dirk é bem diferente do que eu imaginava enquanto lia o livro. Mas o enredo da série vai melhorando a cada capítulo até chegar ao desfecho de bugar o cérebro que deixaria Adams não orgulhoso, mas quem sabe satisfeito. Então eu recomendo!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Maratona Literária de Inverno 2017

E então pessoal, vocês estão participando da maratona Literária de Inverno? E se estão, como vão suas leituras? O que escolheram para ler?

É a primeira vez que eu participo de uma maratona e logo de cara escolhi seis livros para ler kkk #medo

Eu estava apreensiva já que ainda não entrei de férias da faculdade e como estou encerrando o semestre estou cheia de trabalhos para entregar e provas para fazer.
Mas está tudo fluindo bem até agora, estou confiante kk e hoje, três dias desde o começo oficial da maratona, já estou em meu terceiro livro.

Vou a seguir apresentar a vocês minhas escolhas.



Desafios:


  1. Ler um livro com capa azul: escolhi A testemunha ocular do crime da Agatha Christie, em uma edição já antiguinha que eu tinha aqui a um tempão e ainda não tinha tido coragem de ler (eu nunca sabia por onde começar a ler os livros da rainha do crime).
  2. Ler um livro com menos de 200 páginas: escolhi Um amor de outro mundo, um livro bem velhinho que ganhei já usado de uma madrinha minha mas ainda não tinha tido vontade de ler. Ele é bem curtinho, tem 136 páginas só.
  3. Ler um livro que você comprou pela capa: escolhi A torre negra do C. S. Lewis. Eu ganhei um ebook na amazon mas não sabia qual comprar. Acabei comprando esse pela capa sem nem saber da sinopse.
  4. Ler um livro escrito por uma mulher: escolhi O mistério de Xangri-la, da autora Tereza Noronha.
  5. Ler um livro sem saber a sinopse ou do que se trata: escolhi Razão e sensibilidade e monstros marinhos, uma espécie de spin-of do aclamado romance de Jane Austen.
  6. Ler um livro nacional: escolhi Melodia Mortal. Eu sou viciada em tudo que se trata de Sherlock Holmes. Misturado com música então... Meu Deus como eu quero ler esse livro!


Bom, essa é a minha TBR. Me conte a sua ai nos comentários ;-)



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Orgulho e Preconceito e Zumbis - Jane Austen e Seth Grahame-Smith

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 8,0
Livro: Orgulho e Preconceito e Zumbis
Autores: Jane Austen e Seth Grahame-Smith
Número de páginas: 320
Editora: Intrínseca




Sinopse: Orgulho e Preconceito e Zumbis é uma versão ampliada do famoso romance de Jane Austen, incluindo cenas inéditas com zumbis partindo o cérebro das pessoas para devorar seus miolos. Na abertura da história, ficamos sabendo que uma misteriosa praga se abateu sobre o tranquilo vilarejo de Meryton, na Inglaterra, e os mortos estão retornando a vida. A implacável heroína Elizabeth Bennet está determinada a eliminar a ameaça zumbi, mas logo sua atenção é desviada pela chegada do altivo e arrogante Sr. Darcy. O que se segue é uma deliciosa comédia de costumes, repleta de civilizados embates entre os dois jovens enamorados - além de batalhas um tanto violentas, em que sangue e cérebros jorram fartamente. Conseguirá Elizabeth subjugar as crias de Satã? Poderá ela superar os preconceitos sociais da aristocracia local?

Resenha: Bom, primeiramente devo dizer que você deve ser um leitor de mente aberta para encarar esse livro, porque o que fizeram com ele foi pegar um clássico da literatura Inglesa e misturar zumbis, o que em muitas vezes pode parecer muito criativo mas em certos momentos a história fica fica um tanto quanto infantil. Então vai com calma, não entre de cabeça ou você vai passar um bom tempo xingando o maníaco que teve essa ideia kk.

Então, eu não li ainda "Orgulho e Preconceito", mas depois desse livro, fiquei bem curiosa. A história original não me parece ser muito diferente do que li, com exceção de algumas partes, que vão diminuindo no decorrer do livro, em que são acrescentados zumbis.

Acho que provavelmente todo mundo já conhece essa história, mas para os que não conhecem vou fazer um pequeno resumo: Elizabeth Bennet é a segunda irmã de cinco. Ela vem de uma família pobre. Em um dia comum, novos moradores chegam a cidade e causam grande euforia nos habitantes da pequena cidade de Meryton. Se trata do rico Sr. Bingley que traz com sigo sua irmã, e seu amigo, Sr Darcy, um homem que francamente, me deixou bem frustrada no início da história, kk.
Jane, a irmã mais velha de Elizabeth, logo se vê encantada pelo Sr. Bingley, o que faz com que ela se aproxime muito dele, consequentemente, leva Lizzy consigo, fazendo com que seja inevitável que ela se encontre com Darcy. Porém desde o início eles entram em pé de guerra apesar de haver obviamente uma atração entre os dois. Mas será possível que esses romances possam desabrochar? Afinal a família Bennet por ser pobre não deveria se envolver tanto com a aristocracia.
A história gira em torno disso. Fala sobre o orgulho de ceder a uma paixão e também sobre o que é considerado certo e errado em uma sociedade dominada pelos poderosos.

Enfim, a história é boa e os zumbis não incomodam tanto depois que você se acostuma.
Só acho que a editora tentou economizar papel e para isso não dividiu os capítulos em páginas separadas (um capítulo acaba no meio de uma folha e o próximo começa logo abaixo) e colocou bordas pequenas, enchendo assim quase toda a folha. Fiquei meio cansada desse formado e tive que incluir outras leituras no decorrer desta para que eu não ficasse desesperadoramente cansada do livro (olha o drama kk). Mas se você não se incomoda com isso, então se divirta, pois esse livro foi feito com esse propósito.