quinta-feira, 12 de julho de 2018

Ascos - Anderson Mileib

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 10,0 - 10,0
Livro: Ascos
Autor: Anderson Mileib
Número de páginas: 86 páginas



Resenha: Bom, eu já resenhei esse livro por aqui há um tempo atrás (link Aqui!). Resenhei a edição física, mas fui convidada pelo autor a reler a obra no formato digital, que saiu há pouco tempo, e dar minhas considerações a respeito dela.

Primeiramente vou introduzir a obra pra vocês.
Muitos não conhecem, mas Ascos é uma obra de contos de horror e suspense escrita de forma magistral, com a plena intenção de causar medo, mas também a reflexão.

A história se passa em uma taverna e, no decorrer da noite, embriagados pela bebida, quatro homens resolvem contar sua extraordinária história. Os contos são divididos entre essas quatro personagens.

No primeiro conto, conhecemos Macalister, que apresenta sua história para os companheiros da taverna. Ele conta uma história de quando ainda era caixeiro viajante e, por causa de um mal tempo, fora obrigado a se hospedar em uma decadente hospedaria em um pequeno vilarejo. Logo no início ele sente algo estranho na casa, assim como na dona dela e, após investigar descobre que houve um misterioso crime naquele lugar. Sua curiosidade o impulsiona a ficar até desmembrar toda a história e o desfecho, é de arrepiar!

"A razão, meus caros, é a forma como utilizamos a inteligência para superar o medo."

Já o segundo conto apresenta Isaac. A história que ele conta aconteceu anos atrás, quando ele morava em uma pequena vila que, de uma hora para outra foi amaldiçoada por algo terrível e misterioso. Os animais começaram a morrer e o alimento a acabar. Devido a uma assembleia, ficou decidido, não sem muita hesitação, que uma comitiva de dez pessoas partiria em busca de ajuda. Dentre as pessoas que se ofereceram, estava Isaac e sua bela e amada esposa. Mas ao sair do vilarejo, acabaram presos em uma fazenda abandonada, por causa da baixa temperatura. Nesse local, eles são obrigados a repensar seus conceitos a respeito do que é humano e o que é preciso fazer para garantir sua sobrevivência. Conto amedrontador que faz jus ao nome do livro!

"- Aqui matamos todos os nossos fantasmas, e alimentamos os demônios dentro de nós mesmos. "

No terceiro conto nos é apresentado Kevin. Sua história gira em torno de sua juventude e de sua ambição por investigar a mente assassina de um psicopata.

O quarto conto é narrado por Alphonse, que apresenta uma história de quando ele era um jovem escritor de peças de teatro e, após uma não tão prestigiada apresentação, recebe uma proposta um tanto assombrosa de seu amigo Fabian, que era também a personagem principal de seu drama, com o intuito de dar mais emoção e realidade à peça, e assim, alavancar a fama dos dois.

"A arte, pura e verdadeira só é paga com sangue. A vida é o verdadeiro Teatro dos Horrores."

O último conto é na verdade, como seu próprio título diz, uma carta. Foi escrita na taverna, enquanto o remetente ouvia as histórias contadas. Ela é um ultimato, uma carta de amor, de saudade, de horror, de asco...

"Não importa quão grande seja a dor dos outros, nossas tragédias são sempre incomensuráveis."

Recomendo fortemente a leitura desse livro. Vale realmente muito a pena.
A escrita do autor é madura e muito fluida. Suas histórias são instigantes e tensas, carregadas de suspense do início ao fim, tornando impossível parar de ler até devorar a última página!
Quanto à edição, recomendo que esta seja revisada. Encontrei alguns erros de ortografia e de concordância, mas não foi nada que me atrapalhasse na leitura. Só acho que esse livro merece um tratamento um pouco mais minucioso.
Mais uma vez, dou meus parabéns ao Anderson, um grande parceiro aqui do blog, por ter criado uma história tão incrível, fazendo com que, separados, os contos sejam intensos, mas que juntos, formem uma unidade de horror deliciosa para qualquer um que aprecie o gênero.
Só leiam!

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Clarice - Roger Mello

Nota: 10,0
Resenha por: Vitória Bueno
Livro: Clarice
Autor: Roger Mello
Ilustrador: Felipe Cavalcante
Número de páginas: 124
Editora: Global





Resenha: Quero começar essa resenha falando sobre o quanto fiquei maluca essa edição assim que a vi. É um lançamento da Global Editora, escrito por um premiadíssimo autor de literatura infanto-juvenil. O livro é repleto de ilustrações de encher os olhos, ilustrações estas, que ajudam de forma magistral a compor a obra. Sem elas, o livro sem dúvidas não seria o mesmo. Sem contar que a diagramação está impecável, assim como a revisão, além é claro, do acabamento em capa dura. É realmente um livro para se admirar. Mas vou lhes dizer: esse livro é bem mais do que um rostinho bonito.

Ele vai nos transportar para a época da ditadura militar através dos inocentes olhos de Clarice, uma menina que vive entre as diversas consequências do regime que a cerca. Quem cuida dela é sua tia. Seus pais desapareceram, pegos pelos militares. Ela não sabe muito a respeito. O que ela sabe é o que ela ouve de conversas entrecortadas e através de seu amigo Tarso que, juntamente com sua mãe, está na mesma situação que ela. Por falar em Tarso, é ele que protagoniza as aventuras e desventuras junto com a personagem principal.

"O lago engole o livro como uma boca gigante.
Deixa eu ver, nem pude olhar a capa ou dentro do livro antes de ele desaparecer na água.
-- Eu aposto que essa água que engole o livro é uma boca gigante.
Que sentido faz alguém que tem tantos livros atirar livros pela ponte?"
Acho importante falar um pouco sobre a forma usada para narrar a história. Ela é bem inteligente. Temos a perspectiva de uma criança de um grande momento histórico. Uma perspectiva marcada pelo medo e pela incerteza. Além disso temos uma tensão que se estica como um fio, do início ao fim, enquanto a confusa mente de Clarice tenta encontrar significado nas muitas fugas vividas por ela e sua família.

É com certeza um livro repleto de questionamentos e reflexões. Impossível não sofrer, sorrir e se consolidar com a história de Clarice. Eu diria que esse é um livro para se ler mais de uma vez. Me atrevo a compará-lo com "O Pequeno Príncipe". Mas deixe-me explicar: esse é um livro infanto-juvenil, mas mais do que isso, é um livro composto por camadas. Uma criança pode não ser capaz de montar uma interpretação muito profunda da obra e por isso acho que assim como o famoso "O Pequeno Príncipe", é preciso ler e reler, e a cada releitura, vai descobrir algo novo. E é aqui que entra a minha deixa para recomendar esse livro para qualquer pessoa, de qualquer idade. Não tem como não se deliciar com essa história!



terça-feira, 22 de maio de 2018

O Mistério do 5 Estrelas - Marcos Rey

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 10,0 - 10,0
Livro: O Mistério do 5 Estrelas
Autor: Marcos Rey
Número de páginas: 128
Editora: Global



Resenha: Então pessoas, hoje eu vim falar sobre esse livrinho top que recebi esses dias de parceria com a Global Editora.

Se trata de um pequeno romance policial, mais voltado para o público infanto-juvenil, que conta a história de Leo, um mensageiro de um hotel 5 estrelas que, em um aparente típico dia de trabalho vê um corpo dentro do quarto de um importante hospede e, a partir daí, precisa decidir se vai ficar calado a respeito do incidente ou se vai enfrentar as consequências que se acarretam quando se confronta um membro influente e poderoso da sociedade.

Gostei bastante do livro. Achei que foi bem construído, apesar de ser um texto curto. Nenhuma personagem é apresentada por acaso e, todas elas são muito bem desenvolvidas. Adorei principalmente Gino, o primo paraplégico de Leo, que é sem dúvidas, a personagem mais inteligente da história, mas há uma infinidade de personagens interessantes. A trama é bem amarradinha, cheia de suspense e desventuras, típicas desse gênero. A escrita é fluida e simples, mas madura e inteligente, além de muito bem humorada. De brinde, o livro trás diversas ilustrações belíssimas, que ajudam o leitor a adentrar ainda mais na história de Leo.

Eu não conhecia a escrita do autor e agora já quero ler vários outros livros dele.

Quanto à edição da Global, está linda como sempre. Não canso de elogiar o trabalho deles. A capa e as ilustrações estão lindas. A diagramação está ótima e muito confortável para os olhos, possuindo uma boa fonte. A revisão também está impecável! 

Bom, pra finalizar, como vocês já estão cansados de saber, sou bem suspeita pra falar de livros desse gênero. Eu adoro!!! Mas sério, vale muito a pena conferir. Quero dizer novamente que temos sim, muito romance policial nacional bom, e, vou dizer uma coisa pra vocês, ultimamente eu tenho lido ótimos livros infanto-juvenis desse gênero (posso até fazer um post dando dicas!), então não tem desculpa para nossos jovens não entrarem de cabeça nesses livros. Mas não se engane! Esse livro não é só para os jovens não! Eu recomendo muitíssimo, para todas as idades!