quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

As Relações Perigosas - Chordelos de Laclos

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 10,0 - 10,0
Livro: As Relações Perigosas
Autor: Chordelos de Laclos
Número de páginas: 316
Editora: Abril





As Relações Perigosas fala, principalmente, sobre os hábitos praticados pela aristocracia francesa do séc. XVIII.

O livro é escrito todo em forma epistolar, ou seja, em forma de cartas que são trocadas pelas diversas personagens presentes no livro.
Esse formato de narrativa faz com que a perspectiva do leitor se amplie ao mesmo tempo em que o contrário pode acontecer, pois os narradores não são confiáveis, e mesmo quando são muito convincentes, deve-se ter sempre em mente que eles vão sempre tentar passar o melhor de si. Ainda assim, as cartas trocadas entre O Visconde de Valmont e a Marquesa de Merteuil, são um tanto quanto despidas. Falo assim porque nelas, o leitor vê a imagem mais próxima da hipocrisia dessas personagens, provavelmente não a real, mas a mais próxima.

A história começa com uma carta trocada entre Cécile e sua amiga Sophie. Cécile é uma moça de 15 anos que está de casamento arranjado com um homem que ela não conhece. Mas a Marquesa de Merteuil sabe bem quem ele é. A verdade é que esse homem (o conde de Gercourt), há um tempo, fora amante da marquesa e a trocara por outra mulher. Quando ela descobre sobre o casamento, vê diante de si uma oportunidade para se vingar. Então, ela pede que seu fiel amigo, o visconde de Valmont vá ao seu encontro em Paris, para tramar um malicioso plano, a fim de desencaminhar a garota e entregar ao conde uma mulher feita.

Mas no momento atual, o visconde está ocupado na casa de campo de sua tia, a Sra. de Rosemonde. O devasso está atraído pela presidenta de Tourvel, uma mulher casada e muito devota, que está na casa de campo enquanto seu marido viaja. Ela é avisada pela Sra. de Volanges, mãe de Cécile, sobre a reputação do visconde, mas ao seus olhos ele não parece ser tão ruim.

Em Paris, Cécile se apaixona pelo cavaleiro Danceny, seu professor de música, e por isso, acaba se tornando confidente da marquesa que vê isso como uma oportunidade para colocar seu plano em prática, já que o visconde não quer lhe ajudar.

A partir daí começa-se um jogo de mentiras, paixão e ciúme, e esse jogo acaba manipulando e destruindo diversas vidas.

Livro realmente incrível! A forma fria e calculista com que o visconde e a marquesa executam seus planos, como se estivessem disputando quem é o mais cruel e esperto, em contraponto com a delicadeza e ingenuidade de Cécile e da presidenta de Tourvel tornou essa uma das minhas melhores leituras de 2017.

Além disso, esse livro me fez pensar na aristocracia do séc. XVIII. Eles realmente não tinham nada para fazer além de se divertir com a vida das pessoas que os rodeavam. E a ironia é que eles eram uns bandos de fofoqueiros (rsrs). Simplesmente não tinham nada melhor para fazer. O que me leva a pensar que esse livro serve bem para retratar a vida nos tempos atuais.
O autor soube manipular esse livro de forma extremamente inteligente e irônica, causando no leitor uma confusão de sentimentos. Ora odiei com todas as minhas forças as personagens, ora torci por elas.

O autor também criou duas personagens que tornam essa obra ainda mais interessante: O editor e o redator. Estes são apresentados através de uma advertência e de um prefácio, no início da obra. Naquela, o editor adverte o leitor a respeito do tema apresentado no livro, e defendendo a sociedade francesa da época, diz que a obra só pode se tratar de um tempo anterior. E neste, o redator, ao contrário do editor, induz que as cartas eram reais e até diz que alterou os nomes das pessoas reais. Jogo de mestre do escritor, claro, transformar toda a obra em uma espécie de jogo, dando a entender que nem os próprios responsáveis pelo livro eram confiáveis. Algumas pessoas na época até acreditaram que esta poderia sim, ser uma história real, e que Laclos apenas reuniu as cartas.

Agora falando sobre a escrita, devo dizer que ela é um tanto rebuscada. O que não me atrapalhou em nada, mas sei bem que isso pode ser um empecilho para algumas pessoas. Mas pensem com carinho e encarem essa leitura que vai valer super a pena. Além disso, a globo fez há alguns anos uma adaptação dessa história que ficou muito boa, na minha opinião. Conseguiu retratar bem a essência das personagens. Esses transportaram a história para o final dos anos de 1920, no Rio de Janeiro, parece bosta né, eu sei, mas deu certo! Os atores estão muito bons. Recomendo que vejam! Talvez faça com que vocês fiquem curiosos com relação ao livro e decidam encarar essa obra incrível!






segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Contos Completos - Oscar Wilde #1

Depois de ler O Retrato de Dorian Gray decidi ler outras coisas de Wilde. Então peguei esse livro de contos e após ler alguns textos, pensei que talvez fosse legal trazer um mini projeto aqui pro blog. Farei posts, falando sobre todos os contos dele. São 14 no total. Dividirei então entre sete posts, onde falarei brevemente sobre dois contos em cada.

Acho interessante trazer coisas assim porque muita gente não gosta de ler contos o que é uma perda, pois podemos encontrar grandes histórias neles. E por isso vou começar a falar mais sobre contos aqui no blog. Já tenho muitas ideias para 2018, não só com os contos de Oscar Wilde. Então aguardem!!!



O Príncipe feliz


O conto narra a história de uma estátua que era muito admirada. Era a estatua do príncipe feliz.
Um dia uma andorinha pousou sobre os pés da estatua do príncipe e percebeu que este chorava. O príncipe lhe contou que quando era vivo, morava no palácio de Sans-Souci e que lá ele não conhecia a tristeza e por isso sempre fora feliz. Quando morreu ele foi transformado em estátua e colocado no alto da cidade, onde podia ver toda a tristeza, a miséria, a desigualdade e por isso chorava, porque agora era infeliz.
O andorinha (era macho) contou que precisava ir para o Egito porque o inverno estava chegando e se ficasse, morreria de frio. Mas a estátua lhe pediu que ficasse por uma noite, e que levasse o rubi que estava preso no cabo de sua espada para uma costureira pobre, que estava com o filho doente em casa.
O andorinha fez o que lhe foi pedido e no dia seguinte se sentiu muito bem pela boa ação.

A partir desse ponto, a narrativa vai expondo alguns aspectos da miséria que permeia a cidade, usando personagens como exemplo. Mas o foco está na verdade na miséria do próprio príncipe, que por ter sido privilegiado com uma vida de riquezas, não via o que acontecia com seu próprio povo. Na morte, ele conhece a verdade, e encontra a verdadeira amizade em sua jornada.
O andorinha, também é uma personagem importantíssima, pois deixa sua vontade de lado para ceder ao próximo e assim, ajuda o príncipe a se redimir de sua desgraça.

O Rouxinol e a Rosa


Já esse conto, fala sobre um jovem estudante apaixonado. Sua amada lhe pedia uma rosa vermelha em troca de uma noite de danças em um baile. Mas o jovem não encontrava uma rosa vermelha em lugar algum e por isso se sentia um desgraçado.
O rouxinol, ao ver o estudante chorar se compadeceu e se dispôs a ajudar. Decidiu que cantaria sua mais doce melodia em troca da rosa. Mas também não conseguiu encontrar a rosa em lugar algum. Quando finalmente encontrou, a roseira lhe disse que naquele ano não teria rosas. O rouxinol estava desolado. A roseira então lhe disse que havia um jeito de conseguir a flor. O rouxinol deveria cantar com um espinho da roseira enfiado no coração, e assim, nasceria uma rosa vermelha.

A partir desse ponto da narrativa, a ave se pergunta até onde se deve ir pelo amor. E será que era amor? O conto faz o leitor pensar no amor que se espalha no mundo. E essa reflexão é super válida para os dias atuais. O que pensamos que sentimos é amor ou apenas uma simples adoração?
Conto incrível!!!


 


Conclusões finais sobre os contos:


Achei interessante a forma com que eles são narrados. De forma simples, sem muitos rodeios. Diferente com certeza do famoso O Retrato de Dorian Gray, que carrega uma linguagem mais trabalhada e complexa. Além disso, o autor aproxima muito esses contos das fábulas: ele dá vida e personalidade aos animais e o final dos contos carrega uma mensagem moralizante, fazendo com que estas, sejam leituras voltadas para o público mais juvenil. Outra coisa interessante neles, é que as personagens humanas não possuem nomes, é sempre “o estudante”, “a costureira” etc.

Acho super válido conhecer esses contos ;-)

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Retrospectiva 2017 #2


Oi pessoas!
Voltei para falar sobre a Retrospectiva 2017.
No post anterior eu falei sobre os melhores livros que li em 2017. Se você anida não leu o post, vou deixar o link aqui!!!

Nesse post, vou falar sobre os melhores filmes e músicas que assisti/ouvi em 2017 (não necessariamente serão lançamentos de 2017) e também sobre os posts que mais gostei de trazer aqui pro blog.



Melhores Filmes:

  • Grand Piano: Que filme massa! Assisti sem grandes expectativas e curti muito, apesar do final deixar um pouquinho a desejar. O filme é tenso do inicio ao fim, e a cereja do bolo é a  atuação da personagem principal, que além de demonstrar a tensão necessária eximiamente, ainda mostrou que sabe no mínimo, fingir muito bem tocar um piano (apesar de eu ter pesquisado e parece que ele realmente toca!)
Sinopse: Antes da apresentação que marca seu retorno, um pianista que sofre de medo do palco descobre um bilhete assustador em suas partituras. A ameaça afirma que ele terá que fazer o melhor concerto de sua vida, sem um único erro, se quiser salvar a si mesmo e também sua esposa.

  • Como não esquecer essa garota: Recomendo esse filme só porque achei ele muito fofo!!!
Sinopse: Molly é uma garçonete solitária que se envolve com Gus, um vendedor de joias. Mas há um obstáculo para o relacionamento: Gus sofre de um problema de perda de memória recente, que o impede de lembrar dela. Entretanto, com criatividade e jogo de cintura, ambos tentarão fazer o amor triunfar.

  • La La Land: Não é novidade o meu amor por esse filme. Já até fiz uma crítica sobre ele (Link aqui!!!). Gostei de tudo no filme. A fotografia é maravilhosa e as músicas inesquecíveis.
Sinopse: Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

  • It, a coisa: Primeiro filme de terror no cinema a gente nunca esquece, haha. Não gosto do gênero mas estava curiosa demais e não me arrependi. Filme incrível, tenso, com uma fotografia extraordinária.
Sinopse: Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado "Losers Club" - o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do "Losers Club" acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise.

  • Assassinato no Expresso Oriente: Claro que não podia faltar na minha lista esse filme né, kk. Adaptação de um clássico dos romances policiais! Adorei o filme. Me enganou direitinho. Além de ter um elenco incrível.
Sinopse: O que começa como um luxuoso passeio de trem pela Europa rapidamente se desdobra em um dos mistérios mais elegantes, tensos e emocionantes já contados. Do romance da autora mais vendida do mundo, Agatha Christie, "Assassinato no Expresso do Oriente" conta a história de treze estranhos presos em um trem, onde todos são suspeitos. Um homem deve correr contra o tempo para resolver o quebra-cabeça antes que o assassino ataque novamente. Kenneth Branagh dirige e lidera um elenco de estrelas incluindo Penelope Cruz, Willem Dafoe, Judi Dench, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Daisy Ridley e Josh Gad.



Melhores Músicas:


All Comes Down - Kodaline (Link)
Lisbela - Los Hermanos - (Link)
One Day - Kodaline - (Link)
Happy Pills - Norah Jones - (Link)
Let's Hurt Tonight - One Republic - (Link)
Can't Go Wrong - Phillip Phillips - (Link)
Todo Sentimento - Chico Buarque - (Link)
Don't Owe You a Thang - Gary Clark Jr. - (Link)
Sonata for two pianos in D K. 448 - Mozart - (Link)
Some Nights - Fun. - (Link)



Melhores Posts:




O Retrato de Dorian Gray: Essa resenha foi importante para mim porque esse foi provavelmente o melhor livro que li ano passado. Foi realmente uma leitura incrível e por isso foi especial fazer essa resenha. (Link para resenha aqui!!!)

Como começar a ler os clássicos #1: Gostei muito de fazer esse post também. Eu acho tão importante que nós leitores nos deixemos conhecer os clássicos. Claro que para alguns não é nenhum sacrifício, mas fico tão chateada quando veem me dizer que não leem clássicos porque é difícil de entender... Isso é uma desculpa descabida. Há clássicos para todos os gostos, com todo tipo de linguagem! Além disso, lemos tanta coisa, que muitas vezes são de segunda categoria, que são inspirados em clássicos incríveis! Então fiz esse post para dar umas dicas. (link para o post aqui!!!)

O Corvo Negro: Essa resenha foi feita para um autor parceiro aqui do blog já há um tempinho, e foi uma leitura maravilhosa! Achei legal sempre falar sobre livros nacionais que tem potencial. (Link para a resenha aqui!!!)

Nildrien - O Pergaminho: Aqui está mais um livro nacional que merece ser conhecido! Fantasia excelente, muito bem escrita. Adorei resenhar esse livro. (Link para a resenha aqui!!!)

A casca da caneleira: Ano passado eu comecei a faculdade de Letras e tive a oportunidade de ler uns livros incríveis. Alguns deles, eu trouxe a resenha aqui pro blog, dentre eles escolhi uma resenha em especial, que acho mais importante falar: A casca da caneleira é um livro não muito conhecido mas que merece ser lido. (Link para a resenha aqui!!!)