segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Crítica - La La Land: Cantando Estações

Crítica por: Vitória Bueno
Nota: 10,0 - 10,0
Filme: La La Land - Cantando Estações
Duração: 2h 8m


Sinopse: Ao chegar em Los Angeles, o pianista de Jazz, Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.


Crítica:
Fui ver La La Land. E agora nem sei por onde começarei essa crítica.

Provavelmente no inicio do filme, diversas pessoas vão se perguntar: "o que diabos estou fazendo sentado vendo esse filme?". Isso se deve porque a primeira cena do filme retrata um típico (ou não) engarrafamento. Bom seria bem normal se os personagens não saíssem dos carros para cantar. Sim, se você ainda não sabe (em que mundo você vive? Brincadeira) La La Land é um musical. Mas relaxe porque ele não é do tipo todo cantado. Há muitas cenas com diálogos no filme também.

Mia é uma atendente de uma cafeteria dentro dos estúdios Warner mas o seu maior sonho é se tornar uma famosa atriz de Hollywood.
Sebastian é um pianista esquecido que não tem emprego fixo e que sonha em montar um clube de Jazz.
O problema está bem aí: Mia não consegue passar em nenhum teste para atriz e o Jazz já não muito bem visto nos tempos atuais.
Em meio as tentativas dos dois se adaptarem à sua realidade, Mia vê Sebastian tocando em um restaurante. A situação não termina bem já que o protagonista está passando por um momento de grande frustração.
Algum tempo depois os dois se reencontram e o clima entre eles vai as alturas. Logo estão apaixonados, mas ainda precisam resolver seus problemas profissionais.

A química entre o casal é inegável. É delicioso ver os dois em cena.
A direção do filme está impecável! As cenas de música estão praticamente sem cortes, num estilo plano-sequência o que faz o filme ser ainda mais especial. 
Percebe-se claramente as referências, tornando esse filme uma homenagens aos antigos musicais.
Sem falar do cuidado com as cores e contrastes presentes em todas as cenas, dando a impressão de que o filme se passa nos anos 50, mas percebe-se que isso foi apenas mais uma homenagem, já que na verdade o filme se passa nos dias atuais.
A trilha sonora está de tirar o fôlego. Eu não consigo parar de ouvir as músicas (daquelas que baixam todas as músicas assim que sai do cinema, rsrs).
E apesar de se tratar de um filme sobre sonhos e realizações, ele felizmente não cai nos clichês típicos desse tipo de filme.

Os protagonistas estão longe de serem cantores e dançarinos excepcionais mas sinceramente, cumprem muito bem seu papel e fazem com que quem esteja assistindo se apaixone pela química entre os dois. 

Está tudo lindo! Sério, não sei do que reclamar, apesar de ser suspeita para falar, já que adoro musicais. Mas houve tudo que um bom filme deve ter: um enredo maravilhoso, um romance apaixonante, um drama leve e de brinde, uma cenografia digna de uma nota 10. La La Land é poético, é uma obra de arte. Todo mundo deveria ver. Com certeza ele mereceu todos os prêmios que recebeu. Estou torcendo para que ganhe muitos Oscar's também!