segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Maldita Morte - Fernando Royuela

Resenha por: Vitória Bueno
Nota:
Livro: Maldita Morte (2005)
Autor: Fernando Royuela
Número de páginas: 352
Editora: Bertrand Brasil




Sinopse: Maldita Morte é a história de uma ambição desenfreada, num país onde se costuma deixar tudo nas mãos da Providência.
Goyo, o insólito protagonista deste romance, recebe aquela que talvez seja a última visita de sua vida. Este encontro dará lugar a uma revisão imoral e impiedosa de sua biografia, que irá convertendo-se a cada página numa leitura crítica e rebelde da Espanha contemporânea.
Vinculado à mais autêntica tradição literária espanhola, este terceiro romance de Fernando Royuela (o primeiro publicado no Brasil) representa o passo decisivo em sua produção artística, que o confirma como um autor de citação obrigatória no universo das letras.
Maldita Morte (La Mala Muerte), título quevedesco por excelência, é um romance moderno e feroz como o mundo que retrata.

Resenha: Gregório, ou simplesmente Goyo, como é também conhecido, é um anão amargo e cruel que teve uma vida horrível. Sua mãe era uma puta, seu irmão o odiava e já quase o matara, e as pessoas da cidade onde mora o tratam com desprezo por causa de sua deformidade.
No decorrer dos anos, o protagonista cresce com uma visão cruel do mundo onde vive, e conhecemos cada um de seus passos em sua longa jornada. Conhecemos suas paixões, sua ida para o circo após sua  mãe o vender para o dono do lugar, sua fuga do mesmo, seu propósito em meio a política espanhola e posteriormente, seu enriquecimento.

O livro é narrado em primeira pessoa e se divide entre momentos passados e presentes. O protagonista sabe que sua vida está prestes a acabar e presenteia o leitor com a história de sua vida, literalmente. O personagem conversa com o leitor em muitos momentos.

Goyo sofreu muitos traumas, a maioria deles, devido à sua aparência e sua posição social.
Conhecemos um personagem que ao se deparar com uma sociedade preconceituosa e recriminatória, tenta ao seu modo, ganhar confiança pessoal e poder.
Além disso, temos como plano de fundo os acontecimentos políticos da Espanha no momento narrado.

O livro tem um bom enredo, que funciona bem, porém, a leitura é deveras cansativa e cheia de momentos desnecessários. Há instantes em que a estória flui bem, mas ela rapidamente cai novamente, se tornando arrastada. O final foi gostoso de ler e não tenho do que reclamar dele, mas o restante, foi cansativo, com pequenos momentos de alívio na leitura.
Não digo que o livro é ruim, de maneira alguma, como eu disse, a estória funciona bem nesse contexto e cativa, inicialmente o leitor. O problema está na escrita complicada e cheia de rodapés, e também na enrolação dos momentos descritos.

Recomendo para aqueles que gostam de leituras mais complexas e um contexto dentro de problemas sociais. Também acho que vale a pena para aqueles que nunca leram literatura espanhola e querem conhecer. E principalmente, esse livro é para aqueles com estômago forte.