segunda-feira, 7 de agosto de 2017

O Corvo Negro - Lucas de Lucca

Resenha por: Vitória Bueno
Nota: 9,5 - 10,0
Livro: A Trilogia das Plumas - O Corvo Negro
Autor: Lucas de Lucca
Número de páginas: 366
Editora: Publicação independente



Sinopse: Ukel mora na capital do reino de Gor em um mundo fantástico repleto de magia e armas mundanas em duelo, mas ele é apenas uma criança. Após as guerras arcanas, a cidade onde vive recebe refugiados do norte e a vida do garoto muda ao conhecer Merienir, uma elfa de cabelos prateados refugiada, e Farem, um órfão de Gor.
O Corvo Negro mostra a escalada de Ukel no mundo do crime até se tornar um corvo, um caçador de monstros e malfeitores.
Traição, sangue e malícia guiam o caminho do jovem em uma trilogia empolgante onde o protagonista não passa de um egoísta sem redenção.

Resenha: A história já começa apresentado ao leitor uma série de fatos intrigantes.
Um grupo estranho de pessoas chega a cidade de Gor deixando os moradores da cidade curiosos. Um garoto chamando Ukel os vê e decide segui-los para tentar descobrir algo. Nessa fase do livro, o garoto tem apenas 10 anos. Ele descobre que aquelas pessoas estão ali para pedir ao Rei que lhes dê moradia e segurança. Mas eles são fortemente repreendidos já que o Rei não tem nenhuma intenção de ajudá-los. Uma confusão se implanta no lugar e muitas pessoas morrem. Ukel que vinha observando uma família diferente de refugiados, que são elfos, acaba se sentindo tentado a ajudá-los, principalmente por causa de uma bela menina que é filha do casal. Nessa confusão, ele conhece Farem, um garoto gorducho dois anos mais velho que ele. Os dois se juntam e salvam a garota.
Essa violência toda que acaba levando Ukel a matar duas pessoas, faz com que o garoto perceba o quão frio ele pode ser. Ai começa a jornada de sangue e crimes do menino.

Oito anos mais tarde ele se torna um dos maiores criminosos da cidade, junto com Farem e Merienir, a garota elfa.

O livro é bem diferente das fantasias que eu costumava ler. Ukel, o protagonista, é claramente um anti-herói. É frio e calculista, eu me ariscaria dizer que ele é até meio psicopata kk. E acho que isso é o mais interessante da história: conhecer aos poucos o que move a personagem. Apesar de o autor não dar muitas dicas a respeito disso. O mistério que gira em torno da personalidade conflituosa da personagem é a cereja do bolo. Mas apesar das características perturbadoras de Ukel, ainda assim é difícil não gostar dele. Acho que é ai que entra o foco do autor né. Ele mantém o foco narrativo tão perto da personagem que fica difícil odiá-la e pior, o leitor acaba simpatizando muito com ela no decorrer da história e até dando razão para algumas das atrocidades que ela faz.

A escrita está muito gostosa de ler. O autor não é cheio de enrolação e os fatos são apresentados ao leitor rapidamente, mantendo a leitura fluida. As personagens centrais são muito bem construídas, principalmente Ukel e Leiram, apesar de eu ter sentido falta de uma profundidade maior na história de Merienir e Farem.
Os capítulos são pequenos e a diagramação está ótima. Dá pra ler o livro rapidinho.

A forma com que o livro terminou dá uma mobilidade grande de continuação então espero que o autor aproveite bem essa vantagem no segundo livro da trilogia.

Bom, o livro é realmente uma obra de arte. O acabamento em capa dura negra e com verniz localizado chama a atenção, e sim, é um livro que muitos leitores vão comprar pela capa.
O que precisa melhorar é a revisão. Há alguns probleminhas mas não é algo que incomode muito também.
Então se você é como eu que sente falta de uma boa fantasia mais adulta, então esse livro é para você!